Loading...

quarta-feira, 23 de julho de 2008

Para quem não conhece o CANNE



Centro Técnico Audiovisual do norte e nordeste - CANNE Antiga reivindicação da classe cinematográfica da região Nordeste e emconformidade com a política de descentralização e regionalização do Governo Federal, o CANNE foi implantado por meio de uma parceria da Secretaria do Audiovisual do Ministério da Cultura (SAV/Minc) com a Fundação Joaquim Nabuco do Ministério da Educação (Fundaj/MEC). O CANNE desenvolverá suas atividades sob a coordenação do CTAv Nacional, que funciona no Rio de Janeiro. A instituição foi criada há 20 anos eopera ações técnicas da SAV/MinC nas áreas de fomento, formação, difusão e memória do audiovisual brasileiro. A Fundaj, que já atua há mais de 50 anos na produção, exibição, acervo, reflexão e fomento do audiovisual alia sua vocação histórica de entidade fomentadora da cultura aos programas de expansão da economiado audiovisual implantadas pelo MinC com objetivo de reforçar a emergente cinematografia regional. Em conformidade com a proposta de descentralização do MINC e por ser umaentidade pública federal executora de políticas públicas para a região Nordeste, a Fundaj propôs o projeto para a implantação de um Centro Técnico que atendesse a demanda do norte e nordeste, na sua sede, assegurando uma contra-partida em recursos econômicos (infra-estrutura,equipamentos, local de instalação, segurança e seguro) estimada no valorde R$ 500 mil reais, além de um custo mensal de manutenção (pessoal, manutenção dos equipamentos e da estrutura) estimada em R$ 10 mil. De acordo com Isabela Cribari, 85% das produções audiovisuais estão concentradas na região Sudeste do Brasil. “Trazer uma câmera de cinema 35mm para filmar no Nordeste encarece, aproximadamente R$ 10 mil emqualquer filme, incluindo aluguel, transporte, excesso de bagagem epassagem de acompanhante”, afirma. “Pernambuco, geograficamente, é estratégico, pois faz fronteira com cinco dos oito estados do Nordeste, e pode impulsionar a produção de audiovisuais na região. O Ministério da Cultura (Minc) já investiu recursos da ordem de R$ 1,5 milhão na aquisição de equipamento completo (câmera cinematográfica 35mm, de última geração) para atender as produções independentes do Nordeste e possibilitar a capacitação de operadores e assistentes defotografia.A Fundação Joaquim Nabuco (Fundaj) comprou e disponibilizou para o CANNE, uma ilha de edição e uma câmera HDTV e já prevê em seu orçamentopara 2008 recursos para a compra de mais equipamentos a serem definidos pela classe como prioritários. A Fundação de Patrimônio Histórico de Pernambuco – FUNDARPE entrou nestaaliança através do financiamento de R$ 120.000,00, que está possibilitando a realização de 7 (sete) cursos técnicos este ano. O modelo de gestão do CANNE, prevê a existência de um comitê gestor coma participação de membros da sociedade civil, representantes da Associação Brasileira de Documentaristas (ABD) e da Associação deProdutores e Cineastas do Norte e Nordeste (APCNN), além do MINC, daFundaj e de representante dos governos dos estados do Norte e Nordeste.ProcedimentosA utilização dos equipamentos, por profissionais independentes e comfinalidade educativo/culturais, será gratuito e mediante inscrição daproposta através de uma pessoa jurídica no formulário contido nestapágina, que deverá ser remetido para o CANNE:
Fundação Joaquim Nabuco – CANNE
Rua Henrique Dias, 609 – DerbyRecife-PE 52010-100.
Tel. 81 3073 6724/ 6725
Relação dos equipamentos
- Câmera 35mm e acessórios
- Câmera HDTV
- Ilha de Edição
Carlos Tourinho

Nenhum comentário: